Espaço Lúdico

Através do simbólico jogo da brincadeira, a criança irá entender um mundo ao redor, testar habilidades físicas (corres e pular), funções sociais (ser o construtor, a enfermeira, a secretária), aprender as regras, colher os resultados positivos ou negativos dos seus feitos (ganhar, perder, cair)...
...Momentos lúdicos e de recreação, enquanto aguardam pelas suas terapias!

Contemplado no artigo 31º da Convenção dos Direitos da Criança, o direito a brincar move-nos à criação de um espaço libertador, criativo e comunicacional onde a criança, acedendo facilmente a livros, jogos e brinquedos que promovam o seu desenvolvimento físico, mental e social, se assuma como sujeito dos seus próprios projetos, podendo vivenciá-los, comunicá-los e partilhá-los.

É, pois, neste sentido que surge o nosso Espaço Lúdico que, para além de proporcionar à criança brincar sozinha, com os seus pares ou com adultos, prevê ainda que esta possa dar continuidade às suas atividades, requisitando livros, jogos ou brinquedos para levar para casa.

São objetivos gerais deste espaço:

  • Defender e promover o direito de brincar, reconhecido no artigo 31º da Convenção dos Direitos da Criança;
  • Proporcionar à criança com handicap motor, cognitivo ou sensorial, igualdade de oportunidades, criando condições adequadas para que possa usufruir de atividades lúdico-didáticas, nomeadamente através da adaptação de brinquedos;
  • Permitir aos utentes em situação de atendimento ambulatório momentos lúdicos e de recreação, enquanto aguardam pelas suas consultas.

A dinamização do Espaço Lúdico permitirá à criança:

  • Momentos de fantasia e criatividade;
  • Participar em jogos individuais ou de grupo;
  • Usufruir de brinquedos que a satisfaçam e estimulem;
  • Ter acesso a material lúdico adaptado;
  • Desenvolver competências cognitivas e sócio-afectivas;
  • Interagir com outras crianças e com adultos.